1. Guia
  2. SP
  3. JUNDIAI
  4. Detalhes da cidade
Guia da cidade - JUNDIAI


Detalhes da cidade: JUNDIAI-SP


  • Cidade: JUNDIAI - Estado: SP
  • DDD: 11
  • Região: Jundiaí
  • População: 405.740 habitantes (Homens: 45% / Mulheres: 48%)
  • Homens: 183.556
  • Mulheres: 193.779
  • Total de domicílios: 120.511
  • Distância da capital (em km): 47
  • Área (km²): 4.320
  • Densidade demográfica: 8.735
  • Frota de veículos: 264.508
  • Indústrias: 3.278
  • Serviços: 15.722
  • Agronegócios: 906
  • Comércio: 10.993
  • Número de empresas: 30.899
  • Serviços de saúde: 773
  • Agências bancárias: 82
  • Educação: 678
  • Administração pública: 38
  • Atividades financeiras: 423
  • Correios e telecomunicações: 120
  • Transportes: 1.395
  • Alojamento: 64
  • Alimentação: 2.519
  • Comércio e reparo de veículos: 1.627
  • Serviços em geral: 8.003
  • Indústria extrativa: 24
  • Construção: 1.257
  • Reciclagem: 39
  • Eletricidade, gás e água: 31
  • Indústrias em geral: 1.927
  • Comércio atacadista: 1.669
  • Comércio varejista: 9.324


  • JUNDIAÍ SÃO PAULO

    HISTÓRICO

    O povoamento do sertão de "Mato Grosso de Jundiahy", como era denominado o extremo território ao Norte da Vila de São Paulo, que hoje compreenderia a região de Jundiaí, Campinas e todo o Nordeste do Estado até a divisa com Minas Gerais no Rio Grande, iniciou-se próximo ao rio Jundiaí com a chegada da Rafael de Oliveira, sua mulher Petronilha Rodrigues Antunes e filhos, em 1615, que deram ao povoado a denominação de Nossa Senhora do Desterro de Jundiaí.

    Segundo alguns historiadores, o casal teria se fixado aí, em virtude de ter Rafael de Oliveira cometido "Crime de Bandeirismo", isto é, organizado expedição de apresamento de índios, o que era vedado pela Coroa. Diz, no entanto, Taunay que Rafael foi perdoado, graças à sua participação no combate aos flamengos.

    O fato é que a antiga Freguesia de Nossa Senhora do Desterro prosperou desde o início de sua formação em virtude de construir ponto de apoio para as expedições que se dirigiam aos sertões, que aí se abasteciam de gêneros produzidos pêlos seus habitantes.

    Sua economia passou por uma fase de estagnação após 1695, durante o apogeu do ciclo da mineração, reativando-se contudo depois de 1785, quando a agricultura se fortaleceu com a cana de açúcar, feijão, cereais, algodão e café.

    Outro fator de progresso foi a fruticultura praticada principalmente pêlos imigrantes europeus a partir do fim do século XIX. Ainda nessa época, surgiu a indústria da tecelagem com a fundação em 1874, da Cia. Jundiana de Tecidos, por incentivo do Barão de Jundiaí, Francisco de Queiroz Telles.

    Foi ainda em fins do século XIX , que inauguraram as Estradas de Ferro (Cia. Paulista- Santos a Jundiaí - a Ituana e a Bragantina).

    Quanto à sua evolução político-administrativa verifica-se que o crescimento rápido levou a freguesia à condição de vila em dezembro de 1655, por provisão do Capitão-Mor de São Vicente, Gonçalo Couraça de Mesquita.

    Mas a elevação a cidade só se deu em março de 1865.

    O topônimo Jundiaí decorre do tupi "Yundiá-y"que significa "rio dos Jundiás", um peixe fluvial da famália das silúridas, segundo Theodoro Sampaio.

    GENTÍLICO: JUNDIAENSE

    FORMAÇÃO ADMINISTRATIVA

    Distrito criado em 1651.

    Vila criada pela provisão de 14 de dezembro de 1655.

    Cidade por lei provincial nº 24 de 28 de março de 1865.

    Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o Município de Jundiaí se compõe de 2 Distritos: Jundiaí (Jundiahy) e Rocinha.

    Assim permanecendo em divisão administrativa referente ao ano de 1933.

    Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, bem como no quadro anexo ao Decreto­lei Estadual nº 9073, de 31 de março de 1938, o Município de Jundiaí compreende o único termo judiciário da comarca de Jundiaí e se divide em 2 Distritos: Jundiaí e Rocinha.

    No quadro fixado, pelo Decreto-lei Estadual nº 9775, de 30 de novembro de 1938, para 1939-1943, o Município de Jundiaí é composto dos Distritos de Jundiaí e Rocinha - e é termo único da comarca de Jundiaí.

    Em virtude do Decreto-lei Estadual nº 14334, de 30 de novembro de 1944, que fixou o quadro territorial para vigorar em 1945-1948, o Município de Jundiaí se compõe igualmente dos Distritos de Jundiaí e Rocinha, e constitui o único município e o único termo da comarca de Jundiaí.

    Lei Estadual no 233, de 24 de dezembro de 1948, desmembra do Município de Jundiaí o Distrito de Vinhedo (ex-Rocinha).

    Figura no quadro fixado pela Lei nº 233, de 24-XII-1948, para 1949-1953, composto do Distrito Sede.

    No fixado pela Lei nº 2456, de 30-XII-1953, para vigorar em 1954-1958, compõe-se dos Distritos de Jundiaí, Campo Limpo, Itupeva e Secundino Veiga, comarca de Jundiaí.

    Em divisão territorial datada de 01-VII-1960 o município de Jundiaí é formado dos Distritos de Jundiaí, Campo Limpo, Itupeva e Várzea Paulista (Ex-Secundino Veiga) comarca de Jundiaí.

    Lei Estadual no 8092, de 28 de fevereiro de 1964, desmembra do Município de Jundiaí os Distritos de Itupeva e Campo Limpo.

    Lei Estadual no 3198, de 23 de dezembro de 1981, desmembra do Município de Jundiaí o Distrito de

    Várzea Paulista (Ex-Sucundino Veiga). Em divisão territorial datada de 01-VI-1995, o município é constituído do Distrito Sede. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 15-VII-1999.

    Fonte: IBGE