1. Guia
  2. MS
  3. CORUMBA
  4. Detalhes da cidade
Guia da cidade - CORUMBA


Detalhes da cidade: CORUMBA-MS


  • Cidade: CORUMBA - Estado: MS
  • DDD: 67
  • Região: Baixo Pantanal
  • População: 109.294 habitantes (Homens: 48% / Mulheres: 48%)
  • Homens: 52.906
  • Mulheres: 52.029
  • Total de domicílios: 28.035
  • Distância da capital (em km): 353
  • Área (km²): 649.609
  • Densidade demográfica: 16
  • Frota de veículos: 29.746
  • Indústrias: 462
  • Serviços: 2.544
  • Agronegócios: 109
  • Comércio: 2.207
  • Número de empresas: 5.322
  • Serviços de saúde: 98
  • Agências bancárias: 6
  • Educação: 82
  • Administração pública: 46
  • Atividades financeiras: 26
  • Correios e telecomunicações: 5
  • Transportes: 312
  • Alojamento: 129
  • Alimentação: 365
  • Comércio e reparo de veículos: 264
  • Serviços em geral: 1.211
  • Indústria extrativa: 32
  • Construção: 152
  • Reciclagem: 7
  • Eletricidade, gás e água: 12
  • Indústrias em geral: 259
  • Comércio atacadista: 304
  • Comércio varejista: 1.903


  • CORUMBÁ - MS - Monografia - n.° 369 Ano: 1967

    ASPECTOS HISTÓRICOS

    Segundo alguns historiadores, teriam sido os espanhóis os primeiros a visitarem o território do atual Município. Assim é que Juan Ayolas e seu sucessor Domingos Martínez de Irala, entre 1537 e 1538, Álvarez Cabeza de Vaca e, em 1547, novamente Irala, agora em demanda dos Andes, estiveram nas terras do futuro Corumbá.

    Até fins do século XVIII as fronteiras das possessões portuguesas e espanholas eram mal definidas Disso aproveitou-se o capitão Luís de Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres para, após a violação de tratado de limites pelos espanhóis em 1774, garantir a posse de grande parte da margem direita do rio Paraguai e da esquerda do Guaporé, expandindo o território da Capitania sob seu govêrno. A 13 de setembro de 1775 lança os fundamentos do porto de Coimbra, cria no ano seguinte o forte Príncipe da Beira e manda ocupar, em 21 de setembro de 1778, o local que hoje constitui a cidade, denominando-o de N. Sª da Conceição de Albuquerque.

    Em 1853, por decreto imperial, o porto de Corumbá foi habilitado para o comércio, sendo dotado de Mesa de Rendas. A Alfândega é instalada em 1861.

    Durante a guerra com o Paraguai, Corumbá foi teatro de algumas batalhas. A 28 de dezembro de 1864 apresentou-se diante do Forte de Coimbra o coronel paraguaio Vicente Barrios, com três mil homens embarcados, iniciando o ataque. O tenente-coronel Hermenegildo de Albuquerque Porto Carreiro, com 157 homens, opôs resistência aos invasores, sustentando luta por 2 dias, findos os quais se retirou para Corumbá. A 2 de janeiro de 1865, a guarnição militar evacua a cidade, seguindo para Cuiabá. Somente dois anos depois, aos 13 de junho, é retomada pelos homens comandados pelo tenente-coronel Antônio Maria Coelho. A Alfândega que tinha interrompido seu funcionamento desde aquele ano, devido a ocupação paraguaia, só volta à atividade em 1872, ano em que é fundado 0 Arsenal de Marinha do Ladário. A imprensa local nasce em 1877, com a edição de "O Iniciador".

    Corumbá torna-se cidade em 15 de novembro de 1878. Novas perspectives são abertas ao progresso local, quando, a 3 de maio de 1908, é iniciada a construção da Estrada de Ferro Itapura-Corumbá, com o lançamento da pedra fundamental na Estação de Porto Esperança e sua conclusão em 1914. Atualmente é parte da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil.

    Formação Administrativa

    O distrito de Corumbá foi criado por Lei provincial n.º 4, de 19 de abril de 1838.

    Em 5 de julho de 1850 a Lei provincial n.º 12 deu-lhe autonomia política com sede na povoação de Albuquerque, e pela Lei n.º 6, de 11 de novembro de 1869, perdeu a categoria de Município.

    A sua restauração coube à Lei provincial n.º 7 de 7 de outubro de 1871, sendo constituído com território desmembrado do de Cuiabá, e reinstalado em 14 de maio de 1872.

    Foi elevado à categoria de cidade pela Lei provincial n.º 525, de 15 de novembro de 1878.

    O Município sofreu várias modificações no seu quadro administrativo, ora perdendo ora ganhando território. Pelo Decreto-Lei estadual n.º 145, de 29 de março de 1938, ficou constituído dos seguintes distritos: Corumbá, Albuquerque, Amolar, Ladário, Morcego, Nhecolândia e Porto Esperança até 1943, quando sofreu alteração apenas no topônimo dos distritos de Morcêgo e Nhecolândia, que passaram a denominar-se Santa Rosa e Mercedes, respectivamente.

    Pelo Decreto-Lei federal n.º 5.839, de 21 de setembro de 1943, o Município de Corumbá perdeu o distrito de Porto Esperança, desmembrado para constituir o novo Município deste nome, do Território de Ponta Porã. Extinto o Território, pelo artigo 8.º do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, de 18 de setembro de 1946, volta o distrito de Porto Esperança a integrar o Município de Corumbá, com o mesmo topônimo.

    Pela Lei n.º 679, de 11 de dezembro de 1953, perdeu o distrito de Ladário que se constituiu em Município. No mesmo ano houve reformulação administrativa, surgindo o distrito de Coimbra, em 17 de dezembro.

    Atualmente é constituído dos distritos de Corumbá, Albuquerque, Amolar, Coimbra, Nhecolândia (ex-Mercedes), Paiaguás (amigo Santa Rosa) e Porto Esperança.

    A comarca foi criada em 21 de maio de 1873, pela Lei n.º 1 e instalada em 19 de fevereiro do ano seguinte.

    Fonte: IBGE