1. Guia
  2. AC
  3. RIO BRANCO
  4. Detalhes da cidade
Guia da cidade - RIO BRANCO


Detalhes da cidade: RIO BRANCO-AC


  • Cidade: RIO BRANCO - Estado: AC
  • DDD: 68
  • Região: Rio Branco
  • População: 377.057 habitantes (Homens: 45% / Mulheres: 47%)
  • Homens: 169.744
  • Mulheres: 178.931
  • Total de domicílios: 97.747
  • Distância da capital (em km): Não informado
  • Área (km²): 92.226
  • Densidade demográfica: 378
  • Frota de veículos: 127.598
  • Indústrias: 2.974
  • Serviços: 9.199
  • Agronegócios: 158
  • Comércio: 11.262
  • Número de empresas: 23.593
  • Serviços de saúde: 384
  • Agências bancárias: 29
  • Educação: 524
  • Administração pública: 156
  • Atividades financeiras: 146
  • Correios e telecomunicações: 33
  • Transportes: 384
  • Alojamento: 109
  • Alimentação: 1.768
  • Comércio e reparo de veículos: 1.059
  • Serviços em geral: 4.607
  • Indústria extrativa: 29
  • Construção: 1.281
  • Reciclagem: 26
  • Eletricidade, gás e água: 44
  • Indústrias em geral: 1.594
  • Comércio atacadista: 1.204
  • Comércio varejista: 10.058


  • Rio Branco

    Acre - AC

    Histórico

    A região, hoje conhecida como Município de Rio Branco, tem origem quando da chegada, na região do Acre, do seringalista Neutel Maia, em fins de 1882, juntamente com sua família e trabalhadores, que trazia para a produção de borracha, e onde fundou seu primeiro seringal à margem direita do Rio Acre (onde hoje está localizada a árvore da gameleira), iniciando ali as construções de barracões e barracas; em terras antes ocupadas pelas tribos indígenas Aquiris, Canamaris e Maneteris - dando o nome de Seringal Volta da Empresa (onde hoje está localizado o chamado Segundo Distrito), por estar assentado onde o rio faz a curva. Em seguida, abriu outro seringal na margem esquerda do Rio Acre, onde hoje está instalado o Palácio do Governo do Acre, com o nome de Seringal Empresa.

    A capital do Estado do Acre (o nome Acre origina-se de Áquiri, transcrita pelos exploradores desta região da palavra Uwakuru do dialeto dos índios Ipurinã), foi fundada em 28 de dezembro de 1882, pela Lei ou Resolução Provincial nº 1, de 05-11-1855, é criado o distrito de Torres do Rio Bonito e anexado ao município de Rio Verde.

    Em 1904, após anexação definitiva do Acre ao Brasil, foi elevada à categoria de Vila, tornando-se sede do departamento do Alto Acre. Em 1909 passou a ser denominada Penapólis (em homenagem ao então Presidente Afonso Pena) e, em 1912 , Rio Branco, em homenagem ao Barão de Rio Branco, chanceler brasileiro cuja ação diplomática resultou no Tratado de Petrópolis. Em 1913 tornou-se município. Em 1920, capital do território do Acre e em 1962, capital do estado.

    Rio Branco é o centro administrativo, econômico e cultural da região. É cortado pelo Rio Acre, que divide a cidade em duas partes denominadas Primeiro e Segundo distritos.

    Anos depois, a mesma Gameleira seria testemunha dos combates travados entre revolucionários acreanos e tropas bolivianas durante o crítico período da Revolução Acreana que tornou o Acre parte do Brasil no início deste século.

    Com o Tratado de Petrópolis e a criação do Território Federal do Acre, a agora chamada "Villa Rio Branco", firmou-se como o principal centro urbano de todo o vale do Acre, o mais rico e produtivo do território. Tanto assim, que a partir de 1920, a cidade de Rio Branco assumiu a condição de capital do Território e depois do Estado.

    Durante todos esses acontecimentos, a rua surgida da Gameleira, na margem direita do Rio Acre, era o centro da vida comercial e urbana dessa parte da Amazônia. Ali se situavam os bares, cafés e cassinos que movimentavam a vida noturna da cidade, ali se encontravam os principais representantes comerciais das casas aviadoras nacionais e estrangeiras que movimentavam milhares de contos de réis naquela época de riqueza e fausto. Ali moravam as principais famílias da elite urbana composta por profissionais liberais e pelo funcionalismo público.

    Com o passar do tempo a administração política do Território foi sendo transferida para a margem esquerda do Rio Acre, com terras mais altas e não inundáveis. Ainda assim as ruas que integravam o centro da cidade formada pelas ruas Cunha Matos, 17 de novembro e 24 de janeiro permaneciam sendo a principal área comercial da cidade, paulatinamente dominada pelos imigrantes sirio-libaneses, a ponto de em meados da década de 1930 ser também conhecida como "Bairro Beirute".

    Porém, a partir da década de 50, teve início um pronunciado processo de decadência econômica da histórica margem direita de Rio Branco, que passou a ser chamado de 2º Distrito. Isso resultou da transferência de boa parte de suas principais casas comerciais para o 1º Distrito da cidade, na margem esquerda do Rio Acre, onde já estavam instaladas as principais repartições publicas e as residências das mais importantes famílias do território.

    Depois de terminada a Revolução Acreana, após a assinatura do Tratado de Petrópolis em 17 de novembro de 1903, Cunha Matos, a mando do governo federal, chegou ao Acre em 18 de agosto de 1904, para governar, como prefeito, o Departamento do Alto Acre até 1905.

    Cunha Matos escolheu para instalar a sede de sua prefeitura, de forma provisória, a localidade povoada do seringal Volta da Empresa, à margem direita do Rio Acre, no dia 19 de agosto de 1904, passando o local a ser chamado de Vila Rio Branco no dia 22 de agosto de 1904, onde hoje está localizado o Segundo Distrito da cidade de Rio Branco.

    Em 13 de junho de 1909, o então prefeito do Departamento do Alto Palácio Rio Branco, sede do governo, Coronel Gabino Besouro, mudou a sede da prefeitura para a margem esquerda do Rio Acre.

    Gentílico: rio-branquense

    Formação Administrativa

    Elevado à categoria de vila com a denominação de Volta da Empresa, pelo decreto do Prefeito nº 3, de 22-08-1904.

    Elevado à condição de cidade e sede municipal com a denominação de Rio Branco, pelo decreto do Prefeito nº 7, de 07-09-1904.

    Elevado à categoria de sede com a denominação de Rio Branco, pelo decreto federal nº 5188, de 07-04-1904. Constituído de 3 distritos: Rio Branco, Capatará e Riozinho. Instalado em 18-08-1904.

    Pela resolução nº 09, de 13-06-1909, deixou de ser sede do município transferido para vila de Penápolis.

    Pelo decreto federal nº 9831, de 23-10-1912, à categoria de cidade e sede do município com a denominação de Rio Branco. Instalado em 15-02-1913.

    Pelo decreto federal nº 14.383, de 01-10-1929, manteve o município com a mesma denominação, elevou a sede à categoria de capital do território.

    Catuaba, Mteroi, São Francisco do Riozinho, Capatara, Itu e Campos Belos.

    Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, o município aparece constituído de 15 distritos: Rio Branco, Catuaba, Mterói, São Fancisco do Piozinho, Capatrá, Itu, Campo Belo, Porto Acre, Humaitá, Marechal Deodoro, Antimari e Depósito do Inquiri, Plácido de Casto, Seringal e Triunfo.

    Peleo decreto territorial n° 147, de 17-03-1944, o Distrito de Itu é extinto, sendo seu território anexado ao distrito sede do município de Rio Branco.

    Fonte: IBGE